A Garota da Capa Vermelha, por Sarah Blakley

30 novembro 2011

A Garota da Capa Vermelha, de Sarah Blakley Cartwright
iD, 346 páginas
O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz. Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem amaldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles — o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada?
Li o livro para ver o filme. É que sou contra filmes de livros, eles sempre distorcem a história cortam as melhores partes que fazem a história ser boa. Mas enfim o livro tem uma história super interessante, a narrativa é calma de forma que fluiu rápido.
Valerie é o patinho feio da história, digo a diferente de todos. Peter seu melhor amigo tinha ido embora quando pequeno, e agora voltara despertando nela uma sensação ardente só ao vê-lo. Valerie faria qualquer coisa para ficar perto dele, até que sua irmã Lucie morre, a bela Lucie fora morta pelo Lobo. Depois disso toda a aldeia se postou loucamente preocupada. Eles só querem uma coisa, morte ao lobo. Valerie põe todos em um julgamento quem viria a ser o lobo? Seria Peter, sua Avó, Henry? Ela é julgada como bruxa e acaba sendo a isca para o lobo, será que ela irá se salvar?
No começo confesso que achei chato, coloquei vários defeitos no livro. Só que quando dei a chance que ele precisava para me mostrar a história, a narrativa me surpreendeu. A história é intrigante, Valerie é esperta, mas não foi o bastante para descobrir o lobo que estranhamente a conhece e conversa com ela. Eu levei sérias dúvidas de que o lobo seria um e no final não podia ser ele.
Peter me faz lembrar a noite, bela, mas distante. Ele parece apaixonado, mas algo nele é duvidoso. Suas histórias batem e não batem com o resto, tornando-o suspeito. Henry também me deixou completamente em dúvida, e ao mesmo tempo inocente. Os dois rapazes têm em comum o amor por Valerie, mas somente um tem esse sentimento correspondido.
No livro não tem o final da história, ou seja, fica aquela curiosidade para saber quem é o lobo. Vi muitas críticas maravilhosas sobre o filme vi o trailer e achei extremamente curioso. 
Gosto muito da atuação da Amanda Seyfried, e ela não me decepcionou. O cenário do filme foi exatamente da forma que eu imaginei quando estava lendo. Os atores que fizeram o personagem do Peter (Shiloh Fernandez) e do Henry (Max Irons) corresponderam a minha imaginação, quer dizer achei o Henry um pouco sonso, mas deu certo. Muito suspense. O filme foi fiel o tempo inteiro ao livro. Mas o filme não me transmitiu a emoção que eu esperava. O final foi realmente surpreendente, eu nunca suspeitaria quem era o lobo, apesar de estar na cara. O filme é bom, mas prefiro o livro. 

Miercolesia #3

Parece que toda quarta-feira eu estou feliz, hoje nem preciso dizer o porque né. Ficar em casa é bom demais, de pernas pro ar, deixando o tempo passar. Ontem tomei uma decisão, e ainda estou um pouco em dúvida. Mas tudo indica novidade. A poesia de hoje fala do verão, é da autora do livro Reencontro que eu mencionei em uma postagem na semana passada, a Leila Krüger. Como o verão está chegando achei ela bem apropriada, pois ela fala exatamente o que está acontecendo ultimamente, agora mesmo chove e talvez eu também esteja a chover antes do verão por minha decisão.



Há uma chuva negra e macia na vidraça. Quase cinza, um tanto fraca... me acaricia.
Pingos me olham – esperando o chão cegar. Chegar. E o desespero do que chove no mesmo lugar. E a nuvem que se move... sobre as palavras... que eu não te dei.
Negra na janela, esperando o chão.
Sou eu quem chove – antes do verão...
Sou eu quem grita! – ao perder teu rosto de areia, entre minhas mãos...

Daqui a pouco tem Resenha + Filme, esperem!

Trecho #3

29 novembro 2011
Hola Personas Queridas! Estou em semana das adoradas provas finais o que pode deixar o ritmo um tanto lento por aqui, mas vou tentar postar nem que seja uma coisinha. Enfim, vocês sabem que estou lendo Ela Foi Até o Fim que estava na coluna Vou Ler na quinta-feira passada. Então a leitura está um pouco lenta, já que tenho que estudar um pouco, mas o livro é INCRÍVEL. Hoje o trecho que tirei dele é de uma parte caliente, não sei se será notada essa parte neste trecho.


“Então, sua memória voltou com força total, e Lou lembrou onde estava, o que estava fazendo ali e de quem era aquela mão.
Ela soltou um berro e se sentou.
Jack, que estava enroscado em Lou, naquela cama minúscula, também se ergueu e olhou em volta, com um ar de desespero.
- O que foi? – perguntou, assustado. – O que aconteceu?”

Água para Elefantes, por Sara Gruen

27 novembro 2011

Água para ElefantesÁgua para Elefantes, de Sara Gruen
Arqueiro, 272 páginas
Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solícitas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora. Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra. Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais. É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo.
É uma romance de Sara Gruen, com uma linguagem simples e bem dinâmica, a autora conta a história de Jacob Jankowski. Um idoso de 93 ou 90 anos (nem mesmo ele sabe a sua idade ao certo) que está morando em um asilo. Através de suas memórias o leitor vai conhecendo um pouco da vida de um homem que lutou para sobreviver na época da Grande Depressão dos Estados Unidos.
Em um verão Jacob perde seus pais em um acidente de carro e se vê sozinho em um mundo sem destino certo. Sua única alternativa no momento é entrar para o circo. Um lugar onde só há diversão! Correto? Não! Não é bem assim... No circo dos Irmãos  Benzini, O Maior Espetáculo da Terra, Jacob descobre aprender a lidar com as mudanças de humor de August, com o autoritarismo de Tio Al e com seus próprios sentimentos sobre Marlena, a esposa de August.
É no circo que Jacob aprende o que é amor. Primeiro ele se apaixona por Marlena e depois por Rosie, uma elefanta que entra em sua vida para mostrar que tudo tem jeito. Que no final da luta há o sucesso e para alcançar o objetivo é necessário persistência.
O final do livro é surpreendente! Não imaginava que o fim seria daquela forma. Na realidade não foi o fim, mas sim o começo de uma nova fase da vida, talvez a última ou não, por que ninguém sabe o que o futuro nos reserva. Apenas que é necessário dar valor a vida e cada momento que tem!
Água para Elefantes é um lindo livro e merece ser lido! Pegue carona no trem dos Irmãos Benzini, O Maior Espetáculo da Terra, e se emocione com a leitura!
Obrigada Nayana Brito, eu estive muito ocupada e sem tempo para ler os livros ela que preparou a resenha para mim, obrigada por preparar esta resenha para mim.

Contos: Conto de Caripa - A Dor da Lei

26 novembro 2011

Jéssica estava decidida a enfrentar tudo que passasse pelo seu caminho. Ela queria loucamente encontrar Lucas. Haviam se passado longos meses que o novo rei assumira seus postos e começara a dar seu toque de gênio por toda a região de Caripa.
Regiões estavam em uma guerra interminável onde o rei morreu batalhando pela paz. Seu filho mais velho Raniel assumira o trono, ele era horrível todos o detestavam, ele era movido por inveja principalmente aquela que ele guardava de seu irmão Beto que sempre conseguira o que queria até mesmo a sua amada.
Raniel impôs tantas mudanças que mal poderiam ser contadas a dedo, sendo uma delas a que mudara completamente a vida de Jéssica. Ele havia declarado que nenhum casal deveria continuar junto, que excesso de sentimentos traria preocupação aos homens. Todos os homens foram enviados a um quartel que tinha várias tendas para cada um deles, formavam uma grande tropa. Lá eles eram submetidos a treinamentos desgastantes por todo o dia e não podiam sequer pensar em folga, pois o único pensamento no qual o rei queria que fosse mantido era de guerra. No seu primeiro anúncio ele disse:
            - Se arrependerá amargamente aquele que ousar voltar-se contra as minhas ordens.
Mas quem disse que Jéssica se importava? Ela estava disposta a correr qualquer risco, pois ao contrário do rei ela era movida por um forte amor, um amor que ela não havia declarado a Lucas. Ela precisava encontrá-lo e dizer-lhe o que sentia. Foi nesse intuito que ela arquitetou seu plano. Por duas semanas ela conhecera os hábitos de cada dia da semana, observou cada detalhe até saber exatamente onde pisar e onde se esconder.
Chegara o grande dia, ela sabia que não correria perigo, já havia planejado tudo. Pegara uma mochila e armara um piquenique como todos os tipos de comida que ele gostava de doces a salgados, de industrializados a naturais. Ela mesma havia colhido as uvas mais doces e mais verdes como ele gostava. Só pensava em estar ao lado dele, saboreando cada segundo.
Poucas horas para o grande “ataque”, ela observava os últimos detalhes. Cravou seus olhos novamente pelo quartel e conferiu a mochila, tudo em ordem. Tudo estava calmo, sem rei, sem guardas, sem interrupções. Antes de tudo ela tomara alguns goles de água e um bom tanto de ar, precisava de toda calma e de fôlego para a corrida que faria até a tenda de Lucas. Era a hora.
Ela passou tão silenciosamente com seus sapatos baixos com solado de borracha escolhidos perfeitamente para a ocasião. Ela errara apenas no vestido que era longo demais para correr, teve que fazer certo esforço para chegar rápido a tenda, mas ela já estava lá não era um vestido que à impediria.
Lucas estava sentado em sua cama, os olhos presos em vários papeis que pareciam cartas antigas. Quando ele a viu olhou assustado, enquanto ela ofegante pela corrida, tentou dar-lhe o melhor sorriso. Esperando que ele corresse até ela e lhe desse um abraço seguido de seus beijos calorosos ela jogou a mochila no chão já com os olhos cheios de lágrimas. Mas ele não o fez! Ele levantou-se num pulo e do mesmo lugar que estava falou:
            - Você não deveria estar aqui.
            - Eu sei, mas precisava te ver – ela respondeu engolindo as lágrimas de felicidade que transformaram-se em lágrimas de tristeza – eu precisava te dizer que...
            - Não! É muito perigoso. Você conhece o rei ele costumava freqüentar a vila, - o rei sempre fora a vila, mas ao contrário de sua família ele não era simpático – ele ia à sua venda para te... – ele não conseguia terminar a frase.
            - Para me humilhar – ela disse secamente – Eu sei de tudo isso melhor do que você pensa. Não tenho medo dele, me acostumei a suas palavras duras. Não me importo com os riscos que corro... Só o que importa é você, nós. Vim aqui por nós, não consigo ficar longe de você.
Ele ainda estava parado, não queria magoá-la ele também sentia saudades, mas também sentia preocupação. Ela pegou a mochila e organizou todo o piquenique no chão, sentou-se o olhando esperando que ele sentasse junto a ela. Por um segundo ele hesitou, mas sentou-se. Ela pegou um dos cachos de uva e deu-lhe uma.
            - Sei que não foi boa idéia vir até aqui, mas você poderia ao menos dizer algo. Não fique me olhando como se tudo que eu fiz fosse o maior erro. Se preferir que eu vá embora, eu v... – ele a interrompeu.
            - Não, não vá. Seu ato foi arriscado, mas foi a melhor coisa que já fizera por mim, só estou preocupado com sua segurança. – ele agora a olhava daquele jeito que ela conhecia, olhos carinhosos – Você foi a melhor coisa que me aconteceu desde que meus pais viajaram para a guerra. Eu sempre a desejei, sempre quis-te-la em meus braços.
Agora ele havia levantado e deu os barcos para que ela se apoiasse e fizesse o mesmo. Quando estavam na mesma altura ele a agarrou batendo seu corpo no dela, e como chicletes eles permaneceram ali grudados, ofegantes olhando um para o outro. Até que seus lábios se encontraram e eles trocaram um beijo ardente de saudade e desejo. Com os olhos cheios de água ela disse:
            - Lucas, acredite eu te amo e meu coração pulsa a cada segundo só de pensar em você. Eu te amo e nunca, mas nunca te deixarei.
            - Suponho que você não tenha tanta certeza do que diz JÉSSICA. – era Raniel, ele entrara tão silenciosamente quanto ela e ao dizer seu nome faltou cuspir, como se o gosto daquelas palavras lhe causasse náuseas. Ela não percebera, mas Lucas agora estava lado a lado com ela – Quanta petulância vendedorazinha.
            - Ela já estava de saída, veio apenas entregar-me alguns agrados.
            - Não pense que sou tolo meu caro. Sabemos muito bem o que ela faz aqui. E acho que não há me deixado escolhas certo! – no mesmo instante que ele pronunciara suas palavras, havia sacado de seu cinto uma arma e apertou firme o gatilho soltando uma bala certeira no peito de Lucas que caiu aos pés de Jéssica – Nenhum – agora ele falava sério, mas com um leve sorriso no canto dos lábios – nenhum guerreiro meu se comprometerá, sentimentos que envolvam outras pessoas que não seus companheiros de batalha são empecilhos em meus caminhos e devem ser eliminados. Aproveitem os últimos segundos.
Saindo da tenda Raniel deixara Jéssica caída com Lucas em seus braços chorando. Enquanto ele cuspia sangue ela viu as palavras se formarem em seus lábios: Eu sempre te amarei!

Memórias de Uma Gueixa, por Arthur Golden

Memórias de Uma Gueixa, de Arthur Golden
Imago, 464 páginas
"Memórias de uma Gueixa" é um romance fascinante, para ser lido de várias maneiras: como um mergulho na tradicional cultura japonesa, ou um romance sobre a sexualidade, e ainda, como uma descrição minuciosa da alma de uma mulher já apresentada por um homem. Seu relato tem início numa vila pobre de pescadores, em 1929, onde a menina de nove anos é tirada de casa e vendida como escrava. Pouco a pouco, vamos acompanhar sua transformação pelas artes da dança e da música, do vestuário e da maquilagem; e a educação para detalhes como a maneira de servir saquê revelando apenas um ponto do lado interno do pulso - armas e mais armas para as batalhas pela atenção dos homens. Mas a Segunda Guerra Mundial força o fechamento das casas de gueixas e Sayuri vê-se forçada a se reinventar em outros termos, em outras paisagens.
Nitta Sayuri passou por muitos perrengues em sua vida, até se transformar numa gueixa de sucesso. No começo ela era apenas Chiyo a garotinha inteligente de olhos azul acinzentados irmã de Satsu. Mas as coisas realmente começaram a mudar quando ela conheceu o Sr. Tanaka. Logo a pequena Chiyo foi vendida e passou a morar em Gion, lá ela descobriu como a inveja pode andar com o ódio lado a lado, Hatsumomo. Mas descobriu também que ainda existe bondade, o Presidente, e outros dispostos a ajudar, Mameha. Onde antes era vista como problema, passou a ser vista com um futuro promissor. Aprendera muito; shamisen, mizuage, maquilagem, entreter; mas o mais importante, aprendera a nunca desistir.
Esta história fascinante me mostrou uma coisa: Como uma pessoa pode ser obstinada até os extremos. Nunca vi uma pessoa ser tão insistente a ponto de querer estragar a sua vida.
No inicio eu estava apaixonada pelo livro, isso se estendeu até o meio, mas no fim ele perdeu a magia. Não sei se foi porque eu quis correr logo com o final, ou se era a história mesmo. A história não é cansativa, é contada pela própria Sayuri. O que realmente enche é os detalhes.
Os personagens me deixavam atônita. Hatsumomo realmente é o tipo de pessoa que eu tomaria total distência; Mameha um amor de pessoa apesar de o tempo todo estar parecendo querer tirar uma fagulha do seu caminho com a ajuda da Sayuri; Nobu também me pareceu adorável do jeito dele e foi tratado mal pelo meu ver; agora me impressionei por Abóbora como essa menina me assustou.
Há valores que aprendemos com o tempo, Sayuri aprendeu a perdoar, e aprendeu a esperar. São aprendizados que somente o tempo nos dá.
Tirei um ponto da classificação pela perda de magia. Não sei dizer ao certo se leria novamente, acredito que sim. É um bom livro, aprendi muito sobre gueixas que sempre achei legal e elegante, e afinal cada aprendizado engrandece.
Tem o filme baseado livro, eu estou ansiosa para ver. Quando eu assisti faço a resenha para vocês. Por enquanto fiquem com o trailer. Olha o trailer não é legendado, mas dá para ver os detalhes e da para entender a história.
 

Fundo Musical #4

People! Vocês não tem noção de como estou bagunceira. Tem tantos papeis misturados que nem sei qual é pra que. Minhas histórias estão sempre espalhadas, pois eu escrevo na primeira folha que encontro e coloco em vários lugares diferentes. Ontem passei uma hora procurando e arrumando cada uma numa pasta, haja paciência!
As músicas de hoje acredito que são mais para relembrar os velhos tempos. E também para uma calma que eu venho procurando. Acho que nunca mencionei que dou muita preferência para músicas acústicas e ao vivo.
Beyoncé: escuto ela pelo menos uma vez na semana, as vezes até mais. Dou muita preferência para as músicas lentas dela, e Broken Hearted Girl é uma delas. Gosto muito dessa música, sua Letra fala do coração que ela não quer que seja partido. O clipe quase todo preto e branco, e ela está chorando e mesmo assim está bela. Ela é realmente uma diva!
Paramore: That’s What You Get, essa eu retirei do baú. Escutei tanto essa música há uns dois anos atrás. A Tradução prefiro não falar melhor conferir vocês mesmos. O clipe é simples, ela me parece tão nova, diferente do que é hoje. É o que faz o tempo né.
Jessie J: me diz se essa britânica não é demais?! Ela conseguiu em pouco tempo um sucesso com umas poucas músicas. Fazendo parte do seu primeiro cd Nobody’s Perfect a Letra é tão realista, quer dizer para mim tem um significado legal. Mas o que gosto mesmo é o clipe, é tão original e os adereços dela são incríveis. Ficamos então com ela!

Realizações

24 novembro 2011
Gente confesso que estou entusiasmadíssima com o blog que até tenho sonhado com as realizações dele. Hoje fiz uma das coisas que estava planejando. O Nós e Livros agora tem uma página no Facebook. Quando eu aprender a manusear o blogger vou colocar mais visível para você curtirem, por enquanto tem que entrar neste link. Todas as atualizações do blog serão diretamente postas lá, ou as vezes, tipo raramente no twitter. Espero que apreciem, é tudo feito com muito carinho.

Novidades

xxx Editora Novo Século xxx

O Príncipe Gato e a Ampulheta
Bento de Luca
Através de um Buraco de Minhoca – túnel dimensional que interliga dois mundos – localizado no Parque do Trianom, São Paulo, surge um viajante flino movido por uma única e importantíssima missão: a busca por uma lendária ampulheta. Escondida em algum local inóspito da cidade, a relíquia é a única capaz de salvar Marshmallow, terra do Príncipe Gato, que está a beira da destruição. No entanto, parece que ele não foi o único a atravessar o portal. Seres malignos irrompera, das barreiras e logo declararam uma caçada voraz, com objetivos mais sombrios... Além de seus perseguidores, o Gato luta contra seu maior inimigo: O Tempo. É preciso encontrar este objeto antes que seja tarde e seu mundo esteja para sempre perdido. Contudo, ele não estará sozinho nesta empreitada e poderá contar com a ajuda de seus fiéis companheiros.


Cerberus – Entre Cobras e Ursos
Leonardo Monte
O terror está instituído pela fome, pela doença e pela miséria humana... A esperança como uma vela de pavio curto... morrendo... aos poucos. Canibais, Calabans, Mordecais, Pashits, Ankh-o-rus, Beliahs, Banshees, licantropos e toda sorte de criaturas que antes só existiam em nossos mais terríveis pesadelos vagam pela Terra indiscriminadamente... destruindo, aterrorizando... e, às vezes, até convivendo conosco em uma relação de total dominância... Cidades viraram ruínas... As pessoas voltaram a viver em vilarejos e feudos, sem um poder central, servindo a governantes tiranos e sanguinários que as exploram cada vez mais e mais... O medievo voltou... A era das trevas flagela novamente a Terra... A humanidade está a ponto da extinção... Em um ato de desespero, o Vaticano decidiu criar em diversos lugares do mundo as Academias de Caçadores... No Brasil criou-se a Cerberus... Nesse sombrio lugar, dominado pela fé cega e padres ortodoxos, corredores escuros e úmidos, luz de velas e treinos sangrentos, calabouços e forcas, encontraremos alguns de nossos personagens: crianças doadas em suas primeiras semanas de vida para transformarem-se em caçadores de explanares... Passarão oito anos de duras provações até sangrarem-se dignos... ou perecerão no caminho? Os fracos não servem a Cerberus... Você está preparado?
Cinco Luas
Ronaldo Cavalcante
O terror e desespero se espalham quando uma onda de abortos em todo o mundo acontece sem precedentes. Durante seis meses nenhuma criança nasce viva em todo o planeta. Descobre-se então que uma espécie de doença está afetando todo o globo tornando todas as mulheres estéreis. Esse fato é apenas o estopim do que os povos que se autointitulam soberanos chamam de Extinção. Uma peste destruidora e aparentemente sem cura que ataca de maneira misteriosa determinando se os povos merecem permanecer entre os melhores ou devem perecer e ceder suas terras e recursos aos soberanos intocados pela terrível doença. A terra começa a ser invadida por seres maravilhosos e hostis, viajantes de lugares distantes em bases colossais, seres imunes a Extinção. Povos escolhidos pela criação para permanecer e conquistar. É uma questão de tempo até todos no planeta morrerem sem sucessores ou serem simplesmente assassinados se assim decidirem os soberanos.

Reencontro
Leila Kruger
“Está bem no fundo. Não se pode alcançar... aos poucos, vai roubando o ar.” Ana Luiza vai perdendo seu fôlego: o fim de (mais) um grande amor, um pai distante, uma mãe fútil, uma amizade complexa e “pessoas que sempre vão embora”. Com suas músicas de rock, seus livros e seus cigarros, Ana Luiza vê sua vida desmoronar.
“O amor é uma ferida”, ela sentencia. Procurando sobreviver e encontrar seu rumo, a “garota de olhar longínquo” tem um encontro inesperado com um alguém aparentemente muito diferente dela: os “olhos imensos”, que tudo vêem...
Presa em seu próprio mundo e rendida ao álcool e às drogas, Ana Luiza tenta fugir de tudo. Principalmente do temido amor, que tanto a feriu... Ao mesmo tempo a garota procura entender as mudanças inesperadas e os “sonhos que nunca vão acontecer”...
Como encontrar, ou reencontrar o próprio destino? Até onde o amor pode ir, até quando pode esperar? O que há além das baladas de rock e dos poemas românticos? Poderá o amor salvar alguém de sua própria escuridão? Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar.




Vou Ler #2

Devolvi os livros que estava e peguei dois. Um que queria muito ler e o outro que tenho muita curiosidade.
Ela Foi Até o Fim de Meg Cabot: Lou Calabrase é uma roteirista de sucesso – já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhões de dólares de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixá-la pela estrela principal, e agora lhe resta provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo.
O que ela não esperava é que esse “tudo” significasse atentados contra sua vida e sobreviver numa montanha congelada com o home que mais odeia na face da terra como único companheiro... Será que ela vai sobreviver a esta aventura? E será que, no final, encontrará o verdadeiro amor?
Nem preciso dizer nada todo livro da Meg eu pego, sem nem mesmo ler a sinopse – sou meio louca pelos livros dela. Este foi indicado, mas já estava na minha lista de qualquer forma. Assim como outros dela ele é da Galera Record.
Questões do Coração de Emily Giffin: Tessa Rosso é mãe de dois filhos e esposa de um renomado cirurgião pediátrico. Apesar de todos os seus receios, ela recentemente abandonou sua carreira para se concentrar em sua família, na busca pela felicidade doméstica. Por fora, parece destinada a viver uma vida encantada.
Valerie Anderson é uma advogada e mãe solteira de um garotinho de seis anos, Charlie, que nunca conheceu seu pai. Depois de muitas decepções, desistiu do amor e até mesmo das amizades, acreditando que é sempre mais seguro não criar muitas expectativas.
Embora as duas vivam na mesma área de Boston, elas têm pouco em comum, com exceção do amor incondicional por seus filhos. Em uma noite, um trágico acidente faz suas vidas cruzarem-se de maneira inimaginável.
Este livro foi muito comentado e tem um tempinho que estou procurando ele, acabei achando por acaso lá na Biblio então peguei para matar a curiosidade. Ele é da Editora Novo Conceito.

Filha de Feiticeira, por Celia Rees

23 novembro 2011

Filha de FeiticeiraFilha de Feiticeira, de Celia Rees
Cia das Letras, 206 páginas
Mary Nuttal não conhece os pais e acaba de perder a avó, condenada à forca sob acusação de feitiçaria, uma prática imperdoável aos olhos puritanos da Inglaterra do século XVII. Para não ter o mesmo destino, a jovem Mary se vê obrigada a esconder sua identidade e fugir para a América, onde as comunidades fundadas por ingleses começam a prosperar. Mas a menina ainda precisa manter ocultos os seus dons de clarividência: afinal, os valores religiosos do Velho Mundo, sinônimo de sofrimento e castração aos olhos de Mary, também estão presentes entre os colonos ingleses. A novidade, para ela, será a convivência com os nativos americanos, cuja espiritualidade está diretamente ligada à natureza, num modo de vida que fascina a jovem feiticeira.
Ora que olhos eu tenho para boas narrativas! O livro é escrito em forma de anotações, como um diário da própria Mary. Não sei se realmente é uma história real devido a algumas informações, mas estou começando a acreditar que sim, é real. A narrativa fluiu facilmente como ondas que vem e rapidamente vão. A história também é super interessante.
Mary é feiticeira por causa de sua avó ter sido uma, mas isso não é algo bom para ela já que quem fosse feiticeira era condenada à forca. Ela viaja com um grupo de pessoas e tenta manter o seu segredo por todo os lugares onde vai. Ela monta uma nova vida, e junto sua teia de segredos. Muito do que aprende e lhe é importante parece ser motivo de acusações por isso ela guarda tudo para si para não levantar suspeitas. Na sua viagem ela conhece muitos a quem tem muito apreço como Martha e a família Rivers. Mas Mary não conseguirá manter este segredo por muito tempo.
Me vi cada vez mais curiosa, página após página descobrindo o que acontece a volta de Mary. O final foi realmente surpreendente, o passado é sempre bom que mantenha-se passado caso contrário a teia de mentiras pode descosturar. Gostaria mesmo de saber que fim levou Mary, que é o grande X da questão.
Uma coisa que me incomodou foi à presença de três nomes parecidos: John, Johnson e Jonah, fiquei achando que eram apelidos e que todos se fundiam em um só. Mas isso não prejudicou a leitura. Espero que gostem.

Miercolesia #2

Hoje ,como na outra quarta, estou contente. Até coloquei no facebook que estou faltando cuspir flores. Mas acho que essa leveza que estou sentindo é porque meus pensamentos estão um pouco de lado hoje. É tipo como se somente o que importasse é o agora. Essa poesia talvez reflita um pouco isso.




Verbo Ser
Que vai ser quando crescer? Vivem perguntando em redor.
Que é ser? É ter um corpo, um jeito, um nome? Tenho os três.
E sou? Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome,
Corpo e jeito? Ou agente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste? Ser: pronunciado tão
Depressa, cabe tantas coisas? Repito: ser, ser, ser. Er. R. Que
Vou ser quando crescer? Sou obrigado a? Posso escolher? Não
Dá para entender. Não vou ser. Não quero ser. Vou crescer
Assim mesmo. Sem ser. Esquecer.


Carlos Drummond de Andrade

Talvez não faça sentido, vou explicar. Ultimamente pareço me preocupar bastante com meu futuro, o que quero? O que vou fazer quando acabar o ensino médio? Então hoje eu simplesmente Esqueci um pouco toda essa história. É bom esquecer o que pertuba.

Parceria: Liana Cupini e Michelem Fernandes

22 novembro 2011
Na semana passada disse que tinha confirmado uma parceria com a escritora Liana Cupini, certo. Hoje venho anunciar que temos mais uma parceria da escritora Michelem Fernandes. Agora quero que vocês conheçam as duas.
LIANA CUPINI é de São Paulo, estudou Comércio Exterior e tem MBA em Recursos Humanos. O seu livro Estigmas da Luz, é o primeiro da trilogia Luz e Escuridão lançado no final do ano passado. Em abril deste ano, foi disponibilizado em eBook o chick-lit Antes Tarde que Mais Tarde, o também conhecido como ATMT que agora já temos a versão impressa. A escritora é ainda fundadora do grupo Selo Brasileiro, uma iniciativa muito legal para escritores de diversos gêneros brasileiros.
Livro: Estigmas de Luz – narra as aventuras de dois irmãos gêmeos, Aurora e Tomas. Após a fuga de uma clínica médica, eles descobrirão que sua doença misteriosa é, na verdade, um dom e que seus salvadores, um grupo conhecido como “Sentinela”, esconde do mundo a verdadeira história celestial. Serão eles fortes o suficiente para resistir a tudo aquilo que o destino lhes reserva?
Livro: Antes Tarde que Mais Tarde – Depois de completar trinta anos, tudo acontece de uma vez na vida de Karla Kristina! Uma avalanche de novidades que antes pareciam impossíveis! Uma repaginada completa, novos amigos, novos amores, reconciliação, reviravolta no trabalho, viagens... Não há limites para ser feliz, sonhar e se divertir, nesta deliciosa comédia romântica.
Parece que a próxima obra da escritora será Folclore Verde, me parece bem ecológico e misterioso. Duas coisas que amo, a natureza e mistério em um livro então é mais um da Liana que quero ler. Se quiser saber sobre a autora e seus próximos livros acesse: Liana Cupini.
MICHELEM FERNANDES é do Rio de Janeiro e é pedagoga. Durante a sua infância em uma colônia de pescadores voava na imaginação, brincando de inventar histórias de mundos mágicos e distantes. Anos mais tarde, se tornou professora, mas descobriu que havia chegado o momento de compartilhar suas histórias e escritas, como forma de incentivo à leitura.
Livro: O Caminho para Esplendor – Thomas é um garoto tranqüilo que adora a natureza. Mas sua vida pacata na cidade de Valladana muda completamente ao encontrar no quintal de sua casa – com a ajuda do seu espivitado cachorro James – uma chave dourada e misteriosa. Imediatamente, resolve mostrá-la ao seu melhor amigo Fred, que fica impressionado com o achado. A chave não era como outra qualquer, ela pertencia a uma porta de entrada para um lugar fascinante e ao mesmo tempo sombrio: a Floresta Mágica, que era dominada por um abominável chamado Malévolo – que habita o Castelo Esplendor (antes pertencido à rainha Melliny). Junto de seu inseparável amigo Fred, Thomas viaja nessa aventura do bem contra o mal, em que é preciso ter coragem e estar atento a todos os imprevistos de um lugar enfeitiçado.

Trecho #2

Estou lendo Memórias de uma Gueixa, outro que estava na coluna Vou Ler da semana passada. Estou gostando muito do livro, digamos que ele tem grandes chances de entrar para os meus favoritos. Terá resenha daqui a alguns dias. Por que daqui a alguns dias? Porque estou com algumas outras resenhas atrasadas, e ando muito ocupadinha na escola.
Vamos ao trecho!


"Num instante ele meteu a mão no bolso e tirou algo.- Você gosta de ameixa ou cereja? – disse.
- Perdão? Para comer... ou da cor?
- Passei há pouco por um vendedor vendendo sorvete com geléia. Em criança nunca saboreei nada disso, mas teria gostado muito. Pegue esta moeda e compre um. Pegue meu lenço também para poder limpar seu rosto depois – ele disse. E meteu uma moeda no centro do lenço, amarrou-o suavemente numa trouxinha e o estendeu para mim."

Recomendo #3

Hoje venho recomendar um blog que achei muito interessante.
Feitiço das Palavras: Lá as meninas postam novelas, achei super legal e criativo. A novela que estão postando atualmente é Fofoqueira Fina Terceira Temporada, como é a terceira temporada, fiquei voando um pouco, mas deu para entender tudo direitinho. Dei muitas risadas com a história e apesar de não ter lido todas as postagens fiquei super curiosa para o desvendar da história. Super recomendo!
Babi e StarGirlie parabenizo as duas pela criatividade, senso de humor e é claro o romance que desenrola que me deixou empolgadíssima. Sucesso!

P.S.: Para quem não viu na semana passada, deixei em aberto para quem quiser que eu recomende o blog nesta coluna. Basta mandar um email para - noselivros@gmail.com com o nome do blog e o link.

Fundo Musical #3

19 novembro 2011
Hoje eu estou num baixo astral muito grande e somente uma coisa me deu um sorriso no rosto. Postar! Estou viciando no meu próprio blog, oh Deus.
Esse Fundo Musical está bem misto. Passei a semana inteira pensando em quais músicas eu colocaria. Escutei tanta coisa essa semana que fico sem saber o que colocar nesta coluna.
Big Bang - Love Song:
Não é a teoria do universo, é um grupo de hip hop e k-pop – foi a primeira banda coreana que eu ouvi – eles até estavam concorrendo a Melhor Artista Global no M.T.V. E.M.A.’s deste ano, a poucos dias atrás lembram-se? A música deles que trago hoje é Love Song, é um pouco atual. A Letra não é nada bonita, não que não seja bonita mais é que não tem nada demais. Mas o clipe é bom.
Taylor Swift - A Place In This World:
Gosto muito dessa moça, a música country me agrada muito e na voz dela acho ainda mais fofo. A música é A Place In This World, só vi essa música numa versão ao vivo meio acústica. Me identifico muito com a Letra da música acho que é por isso que gosto tanto.
Savannah Outen - Just The Way You Are:
Acho que já devo ter mencionado que curto muito covers, essa moça é uma das que gosto. E uma música que gostei na voz dela foi Just The Way You Are do Bruno Mars. Recomendo o vídeo dela.

Novidades

18 novembro 2011
xxx Editora Galera Record xxx

O Verão que Mudou a Minha Vida
Jenny Han
A vida de Belly é medida em férias de verão. Para ela, todas as coisas boas só acontecem entre os meses de junho e agosto, quando está na casa de praia junto a Susannah, única e melhor amiga de sua mãe e uma espécie de tia, e seus dois filhos, Jeremiah e Conrad. Mais do que irmãos postiços e companheiros de férias, os filhos de Susannah tornaram-se o centro das suas emoções. A véspera do aniversário de 16 anos de Belly marca também o fim daquele que parece ser o último verão no qual estarão todos reunidos em Cousins Beach. A partir do ano seguinte todos estarão ocupados demais e talvez algum deles já nem esteja mais entre nós.
Beijos Infernais
Alyson Noel, Francesca Lia Block, Kelley Armstrong, Kristin Cast e Richelle Mead
Cinco histórias de amor e medo, em que a paixão e o sobrenatural misturam-se a todo instante. Tanto na história de uma vampira fugitiva que se vê forçada a confiar em um garoto cuja missão é destruí-la como na relação entre dois imortais, o limite entre o desejo e o perigo torna-se cada vez mais visível.  

Footloose
Rudy Josephs
Quando Ren, saído de Boston, se muda para uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos, enfrenta um intenso choque cultural. Em Bomont, a diversão é proibida: nada de ficar fora de casa até tarde; farra, sem chance; o rock é banido e simplesmente esqueça sair para dançar. Agora ele está engajado em uma causa simples: fazer com que todos possam se divertir! Daqueles que não desistem com facilidade, Ren desafia a ordem local enquanto luta para chamar a atenção de Ariel, a bela e atraente filha do reverendo Shaw.
Este vai para as telonas, confira o trailer que infelizmente é em inglês.




Com Louvor
Cecily Von Ziegesar
Shipley é sinônimo de boa moça. Nunca faz nada errado, tem uma boa relação com sua família e entrou em uma boa faculdade. Além de tudo, é linda, loura e, surpreendentemente, virgem.
Decidida a se transformar, ela já chega ao campus da Dexter College com um maço de cigarros na bolsa, um chiclete na boca e na primeira noite conhece três calouros. De alguma maneira, eles acabam se um grupo nada homogêneo de amigos. Logo todos irão perceber que a faculdade é muito mais do que créditos e notas e que será preciso desrespeitar algumas regras para se divertir muito!

A Rainha da Fofoca Fisgada
Meg Cabot
No último livro da série bestseller do New York Times, a vida não podia estar melhor para Lizzie! Ela parece ter tudo o que sempre quis: conseguiu um emprego em Nova York, está fazendo aquilo de que mais gosta, trabalhando numa loja de restauração de vestidos de noiva, e Luke, seu namorado gatíssimo e cheio da grana, finalmente a pediu em casamento. Mas por que será que Lizzie não consegue ficar satisfeita por estar a alguns passos do altar? Parece que ninguém está se importando com o que Lizzie quer fazer da vida! Só sua avó – com seu jeito peculiar –, as funcionárias na Chez Henri e uma cliente celeb louca de pedra para clarear suas idéias e mostrar que o futuro estava ali por perto o tempo todo.  


xxx Editora Intrínseca xxx
Luminoso
Alyson Noel
Após ter completado sua tarefa com o garoto Radiante, Riley desfruta merecidas férias ao lado de Buttercup e Bodhi. Quando um cão infernal atravessa seu caminho, a menina decide ir atrás dele – apesar da relutância de seu professor. Durante a busca, ela encontra uma jove, fantasma chamada Rebecca.
Apesar do jeito doce, Rebecca carrega um grande rancor por ter sido assassinada durante uma revolta de escravos. E isso a leva a aprisionar as almas daqueles que morreram nas memórias mais dolorosas deles. Com a ajuda do enigmático príncipe Kanta, Riley terá que salvar Rebecca, tomando o cuidado para não acabar, ela mesma, prisioneira de suas lembranças dolorosas.


Aviso: People, amanhã será um pouco corrido pra mim - eu acho – já que vou atrás de emprego. Se, se eu consegui vou passar o dia inteiro na rua então é bem provável que não tenha a coluna de todo sábado, também é provável que ocorra o mesmo no domingo, mas volto a ativa na segunda caso ocorra. Desculpem o imprevisto. Tenham todos uns bons finais de semana.

Confirmado!

17 novembro 2011
Pessoal firmei uma parceria muito bacana. Com a autora brasileira Liana Cupini. Ela é uma moça muito simpática e espero poder resenhar os livros dela quanto antes, e é claro que também vou tentar fazer uma promoção aqui dos livros dela ok. Então podem esperar que virá algo. Vocês podem entrar no blog dela e conhecer um pouco mais dos livros e sobre ela.

Top Five #1

Estou começando várias colunas novas, hoje tem o Top 5. E o top de hoje é muito interessante. É o Top da lista dos livros mais vendidos do mês de novembro publicado pela Revista Veja. Confira:
FICÇÃO:
A Guerra dos Tronos – George R. R. Martin (Editora Leya Brasil)
O Trono do Fogo – Rick Riordan (Editora Intrínseca)
Marina – Carlos Ruiz Zafón (Editora Suma das Letras)
O Cemitério de Praga – Umberto Eco (Record)
As Esganadas – Jô Soares (Cia das Letras)
A lista da ficção está bem legal, sendo este primeiro de um escritor e apresentador brasileiro. Praticamente todos esses eu estou querendo ler.
NÃO FICÇÃO:
Guia Politicamente Incorreto da América Latina – Leandro Narloch e Duda Teixeira (Editora Leya Brasil)
Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil  - Leandro Narloch (Editora Leya Brasil)
Mentes Anciosas – Ana Beatriz Barbosa Silva (Fontanar)
Feliz para Nada – Martha Medeiros (L&PM)
Steve Jobs – Walter Isaacson (Cia das Letras)
Não tenho muito interesse nesses, tirando a biografia de Steve Jobs eu leria todos, mas não é algo que eu chegue e compre.
AUTO-AJUDA E ESOTERISMO:
Mulheres Inteligentes Relações Saudáveis – Augusto Cury (Academia da Inteligência)  
Nietzsche para Estressados – Allan Percy (Editora Sextante)
Tempo de Esperas – Pe. Fábio de Melo (Editora Planeta)
A Vida Sabe o que Faz – Zibia Gasparetto (Vida e Consciência)
Ágape – Padre Marcelo Rossi (Editora Globo)
Não gosto muito de livros de auto-ajuda, mas me interessei por alguns. E você foi um dos que comprou um dos livros desta lista? Confira o resto da lista no site da Veja.

Um Amor para Recordar, por Nicholas Sparks



Um Amor Para RecordarUm Amor para Recordar; de Nicholas Sparks
Novo Conceito, 184 páginas
Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.
É um livro pequeno. Onde o narrador é o personagem principal, Landon. A leitura fluiu e a história que todos já conhecemos é um pouco diferente do filme gostei muito.
Landon levava uma vida diferente até conhecer a pequena e estranha Jaime. Ela muda seus pontos de vista, aquilo que antes era importante passa a não ser mais.
Desculpe gente, mas não tem como ler o livro sem comparar com o filme. O filme esconde várias situações, como o primeiro encontro do casal. E Landon no filme é mais rebelde, e me parecia muito cabeça dura.
Enfim o livro é completamente apaixonante. Landon apesar de ter uma personalidade ruim, do meio para o fim do livro se mostra um verdadeiro cavalheiro e carinhoso. Jaime a moça compreensiva e meiga, não muito diferente do filme. Desde o começo ela tenta não magoá-lo – como no filme.
Realmente as diferenças entre eles os uniram, formando esse romance comovente que conhecemos tão bem.
Sou muito orgulhosa e dizer isso custa muito para mim, mas si eu chorei ao final do livro como tinha dito que não faria. Não gosto do filme, apesar de a história ser a mesma, mas como já disse o livro é apaixonante e vale muito a pena lê-lo. Leria novamente com certeza. 



Declarações #1

Resolvi fazer esta coluna para realmente dar explicações, mas também porque vi que algumas pessoas gostaram de algumas colunas aqui.
Primeiro as explicações né! Muitas vezes durante a semana a carga de postagens fica meio baixa e acaba que alguns dias não tem nada de novo e tal, o caso é que como está no último bimestre estou numa correria sem tamanho, mas não vou deixar de atualizar, pois é algo que gosto muito de fazer.
Agora gostaria de falar que quem estiver interessado em aparecer em alguma das colunas aqui no blog pode falar a vontade. Basta mandar um email (neste aqui noselivros@gmail.com) me dizendo qual a coluna e é claro se apresente para não ser barrado. Acho que isso é algo bom para os dois lados certo, então sem vergonha pode mandar o email será lido com muita atenção.
E mais, deixo agora em aberto aqui no comentários para quem quiser se expressar com críticas e/ou sugestões. Muito obrigada pelo carinho e pela atenção.

Miercolesia #1

16 novembro 2011
Hoje estou soltando fogos de tão contente. Começa hoje uma nova coluna aqui no blog, e gostaria de começar com uma poesia que gosto muito e que hoje – digo hoje mesmo – ela tem um significado todo especial.
"Podei a roseira no momento certo e
Viajei muitos dias aprendendo de vez
Que se deve esperar biblicamente
Pela hora das coisas."
Adélia Prado (Oráculos de Maio)

Acontece que hoje eu salvei uma amizade linda com uma simples conversa, eu realmente – me gabando é claro – acho que tenho um certo dom para conselheira, e hoje fui uma ponte. A poesia reflete isso, que nem tudo acontece exatamente quando queremos temos que esperar a hora certa para cada coisinha, hoje plantamos para amanhã colher assim deve ser, é a ordem natural das ações, da vida. As vezes brigamos, mas em um momento vamos nos entender e tudo será flores. Tenham todos uma boa noite.
P.S.: Dedicado a minhas amigas Larissa Castro e Nayana Brito