A Última Música, por Nicholas Sparks

23 janeiro 2012

A Última Música, de Nicholas Sparks
Novo Conceito, 383 páginas
Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão – A ULTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.
Finalmente! Pessoal mil perdões pela demora com a resenha, espero que a próxima não demore tanto assim. Acabei ontem o livro, parece até que estava lendo ele a um mês, porque pareceu uma eternidade. E eu não sei porque demorei tanto, afinal o livro tem uma narrativa simples, não cansa e não é tão demorada. A diagramação também é boa, as letras no tamanho ideal, o problema definitivamente foi comigo. Bom, primeiramente quero falar um pouco da capa, eu particularmente não gosto de capas com as capas do filme, apesar de aqui não ter ficado ruim, mas acho que retira um pouco do livro, porque quando lemos o legal é imaginar como seria os personagens, se tem ali os protagonistas do filme não precisamos imaginar, já está pronto. Mas fazer o que né!
O livro narra a história de verão vivida por Ronnie. Ronnie uma garota revoltada, como muitas adolescentes, é obrigada a passar o verão com o pai na Carolina do Norte, mas ela não sabia que esse verão lhe reservaria tantas surpresas! Além de se apaixonar, ela irá sentir na pele o poder do ciúme e principalmente irá descobrir que ela não é aquela garota revoltada.
Bem fiquei meio perdida ali em cima. Ronnie é uma personagem cheia de personalidade, ora estava revoltada e ora mostrava ser uma garota meiga e respeitável. Após três anos sem falar com o pai, ela descobre da pior maneira que essa não foi uma boa idéia.
Blaze era uma garota que tinha tudo para ser sua amiga, mas se não fosse por Marcus, que praticamente era o mandante de tudo que ela fazia. Teve momentos em que até mesmo eu tive medo dele, senti os olhos dele em mim, frios e rígidos (viu esse foi um dos personagens que não vi ainda como protagonista, ele teve uma força maior).
Tive raiva de dó do pai dela, o Steve. Pelos momentos onde ele poderia mostrar sua autoridade com sua filha e não mostrou, mas afinal ele tinha seus motivos, por mais dolorosos que fossem. E o pequeno Jonah, mesmo sendo uma ficção, uma criança sente muito após um trauma assim. Ri muito com ele e acredito que irei rir com o filme também.
Will como todos os mocinhos protagonistas, me cativou muito. Não por ser o famoso Will rico e jogador, mas por ser o Will compreensivo que queria o melhor para o seu amigo (Scott), e também pelo carinho que pareceu ter para com a sua irmã.
Eu amei o livro, como o outro que li dele, Um Amor Para Recordar, este quase me fez chorar (se é que não chorei). Teve momentos de total felicidade e outros de completa tristeza.  O final foi muito lindo, um pouco previsível, mas sempre gostei de coisas previsíveis mesmo então eu amei. Acredito que minha resenha não tenha sido suficiente para transpor o que senti com a minha leitura, mas espero ter dado a você aquela vontade de quero ler. Recomendo!    

8 comentários:

  1. Ficou otima a resenha raquel!
    ja li o livro é realmente muito bom, ate chorei! srsrsrs

    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, eu quase chorei também acho que se tivesse me jogado no livro teria chorado. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eu não li o livro, mas assiti ao filme..
    Gostei da história, mas achei sinceramente que o romance fiou um pouco fraco..sei lá, eu esperava mais e não ocorreu! Então, muito provavelmente eu não vou ler o livro! Diferente de Um amor para recordar, que mesmo tendo visto o filme ainda sim quero conferir o livro!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ao contrário de você ainda não vi o filme mas pretendo ver. Eu gostei do romance. Já Um amor para recordar, achei o livro bem melhor que o filme.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Dos livros do Nicholas, esse é um dos que mais quero ler. O título e a capa me cativaram de cara. O enredo completou minha vontade de conferir a obra. Estarei recebendo Um Homem de Sorte (ganhei num sorteio) próximo mês. Será o primeiro livro do Nicholas que lerei (que gafe da minha parte). Espero gostar do autor. :)

    Beijos, linda!

    Fátima Menezes - @RecantoCaliope
    http://recantodecaliope.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Bom, eu não me segurei, e como nao tinha o livro, assisti logo o filme. :/ Nao chorei no filme muito no filme, mas no livro... Chorei muito, vou nem mentir. Ri demais também com o Jonah, tanto no filme como no livro. Pelo menos ele, foi retratado bem no filme, rs. Concordo com você, Marcus me dava medo '-'
    enfim, beijos ;*
    http://enclausuradas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Não li o livro, mas já assistir o filme. O filme é incrível, amei, ainda mais com Miley Cyrus <3
    Enfim, adorei tua resenha, amei teu blog.

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  8. Com essa resenha me deu vontade de ler realmente o livro. Como amante de um bom livro vou providenciar ler o mais breve possível.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar e volte sempre !