Poesia/Poema do Dia #14

11 dezembro 2012
Boa Noite, Viajantes! Hoje trago um poema para vocês que encontrei por acaso e quando li pensei logo em postar para vocês. :)



Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu Amor próprio, quem não se deixa ajudar. 

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito. que repete todos os dias o mesmo trajeto, que não muda de marca, que não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece. 

Morre lentamente quem evita uma paixão e o seu redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, e os corações aos tropeços. 

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho ou amor; quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho; quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos. 

VIVA HOJE! ARRISQUE HOJE! FAÇA HOJE! NÃO SE DEIXE MORRER LENTAMENTE...

(Martha Medeiros)
 

E ai, o que vocês acharam?! Eu e a Raquel super adoramos, fico aguardando a opinião de vocês! Uma maravilhosa semana para todos vocês. beijinhos

3 comentários:

  1. Cara... muito legal este poema, ele é profundo, tocante, reflexivo.
    Adorei esta parte: ''Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.''
    Me senti na obrigação de repassar este poema e postei no Apenas Livros. Muito legal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela escolha, eu achei d+, Como o Gabriel disse ele faz você pensar e querer aproveitar mais cada momento da vida..
    Parabéns pelo blog, está show!

    Um abraço,
    Bruno.

    www.entrelivroseafins.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Que poema lindo, e vendo-o agora, é ótima para esse início de ano né?! hahaha

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar e volte sempre !