A Menina que Conversava com o Verão, por Sally Nicholls

13 junho 2013

A Menina que Conversava com o Verão, por Sally Nicholls
Geração Editorial, 244 páginas (Parceria)
Quem será o misterioso homem verde que somente Molly consegue ver? Após a morte de sua mãe, tudo muda para as irmãs Molly e Hannah. As duas meninas são mandadas pelo pai para morar com os avós numa pequena cidade do interior. Certa noite, Hannah decide fugir, e obriga a irmã a ir com ela. Em meio a uma forte tempestade, Molly vê um rapaz perseguido por uma matilha de cães e por um caçador com chifres. No dia seguinte, na coluna de uma velha igreja, Molly observa um rosto esculpido e percebe, estarrecida, que é o mesmo homem que ela viu sendo caçado no dia anterior! Existe algo de mágico nesse Homem Verde. A grama cresce à sua volta e árvores brotam sob o seu toque. Será ele fruto da imaginação de Molly... ou será um antigo deus esquecido? Se ele tem poder para devolver vida às plantas, não poderia também fazer a mãe de Molly retornar à vida? 

Com uma narrativa leve e gostosa, Sally mescla um mito sobre as estações à vida de uma garotinha.
Molly e Hannah acabaram de perder a mãe, mas com ela seu pai também parece ter ido embora. Ele não vê como pode continuar cuidando das meninas com o horário complexo de seu trabalho e acaba pedido ajuda aos pais deixando as meninas com os avós. Mas Hannah não está muito feliz com essa convivência, arruma de todas as formas reclamar do que está ao seu redor, seja da loja do avô ou da escola. Numa noite em que briga com a vó Hannah chama Molly para um fuga, mas do lado de fora uma tempestade açoita as ruas e Molly acaba por se perder da irmã, depois de tentar encontrá-la, ela decide que é melhor retornar a casa dos avós já que Hannah parece ter feito isso, mas antes de chegar ao seu destino ela escuta cascos de cavalos contra o chão e logo um homem está correndo de lobos. Ele está machucado, mas pede que ela vá em segurança enquanto o homem de chifres que o caçava foi embora. E Molly vai intrigada, curiosa para saber porque o homem estava sendo caçado e se ele ficaria bem.
A narrativa é fluida e Molly aparenta ser muito mais madura que a irmã que é mais velha que ela. De cara ela já te conquista com um coração grande e uma facilidade de compreender as coisas.
Seu sonho era que tudo voltasse a ser como antes, mas ela sabe que sua mãe morreu e que isso não vai acontecer, mas espera que ao menos possa voltar a morar com o seu pai que a está altura parece ter mudado muito. Com a chegada do homem, que sua professora explica ser o Rei Carvalho de uma lenda, Molly se desvanece um pouco de seus problemas e até esquece o dia em que seu pai iria buscá-la para passear. Ela fica muito preocupada em saber que o Rei Azevinho está atrás do seu homem e o visita constantemente para ver como ele está, mas ela é a única que consegue vê-los e mesmo que conte sobre eles, ninguém parece acreditar.
Essa foi uma trama que no início me senti perdida, mas que logo peguei o ritmo. É inevitável não ficar com pena de Molly por ter perdido a mãe, mas com o tempo ela supera a perda e sua irmã também, e esse crescimento das personagens é notável, ainda mais quando o Rei Carvalho se vai ao inverno e ela ganha novos amigos e começa a fazer planos e a sonhar novamente. O livro mostra que por maiores que sejam as nossas perdas, que elas passam, é triste perder alguém que amamos, mas temos que seguir em frente porque a vida segue em frente, ela não retrocede.

Eu que sou fã de lendas e mitos fiquei encantada em conhecer esse sobre o Rei Carvalho, e claro que me apaixonei por Molly. Recomendo, assim como recomendei o outro livro da autora, leiam Sally Nicholls essa autora que nos encanta simplesmente com o prólogo.

9 comentários:

  1. Oi! Comprei este livro ontem, tinha visto a resenha do outro da autora aqui e fiquei querendo ler algo dela, como só tinha este, comprei. Gostei de saber que ela tem este dom de encantar o leitor, são poucos os autores que conseguem isso. Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha se interessado pelo livro, vai amar "A Menina que Conversava com o Verão", é uma leitura rápida e leve que vai te encantar!

      Excluir
  2. Olá Raquel!
    A capa do livro me encantou, muito simples e linda!
    Sua resenha me deixou com muita vontade de ler o livro, parece uma história triste mas nos mostra a superação dessas perdas. Estou com vontade de ler o livro!

    Beijos flor,
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Hello,
    Maravilhosa a sua resenha, parabéns
    Me deixou com água na boca, muita vontade de ler
    Obrigada por nos apresentar novas leituras.

    http://gabriellasm-1993.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. awn *u* pelo jeito que vc descreveu, acho que vou ficar in love com o livro

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Hm... Muito interessante a história parece ser.
    Acho que já vi esse livro em algum lugar, momento, mas nunca parei para ler alguma resenha. A sua foi a primeira.
    Fiquei deveras interessado. Parece ser um bom livro e reflexivo também.
    Enfim, gostei de saber sua opinião. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Raquel!

    Essa foi a primeira resenha que vi sobre o livro, e, pelo que li, acredito que gostaria. Adoro lendas e mitos, e histórias com um pouco de drama são uma das minhas preferidas. Ansiosa para ler!

    Beijos, Gabi Prates
    Palácio de Livros

    ResponderExcluir
  7. Essa autora se especializa em sick lit e deve arrasar na sua narrativa. Li a primeira resenha que fez dum livro da autora e curti.
    Esse curti mais ainda!
    Ótima resenha

    ResponderExcluir
  8. Não conseguiu me chamar muito a atenção, mas vou levar em conta se um dia ler ele que você gostou e assim da uma chance.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar e volte sempre !