A nossa velha infância

10 julho 2013

Olá, tudo bem com vocês?
Sou Ana, e por falta de tempo a apresentação ficará para a próxima postagem! Sou colunista do blog e trarei três vezes por mês contos, crônicas e estórias para vocês.
E nesse mês teremos um especial amizade... Vamos começar?


Eu era pequena.
De braços e pernas magros e delicados cobertos por uma pele branca e macia. Meus cabelos castanhos caem por minhas coxas. Eu estou parada como a estatua que vi no museu na semana passada enquanto mamãe prende as presilhas em forma de borboleta em meus cabelos.
Eu saltei da cadeira, estalei um beijo em seu rosto, e puxei a alça de minha lancheira que estava sobre a mesa. Mamãe sorriu, e deu minha mochila, e eu andei até a porta ficando na ponta dos pés para abri-la. O ônibus amarelo e grande esperava por mim. Peguei uma flor cor de rosa no caminho e subi aos saltos.
Sentei-me ao lado de minha melhor amiga - alguém que havia conhecido ontem - e combinamos a nossa troca pirata na hora do lanche.
Pera não era minha fruta predileta, e a troca pela maçã dela era perfeita.
Quando cheguei aquele monstro de cimento que se chamava escola, eu sorri ansiosa para ver minhas amiguinhas e minha professora.
Desci, acenando para o moço jovem e bonito demais para ser motorista do ônibus.
Eu me sentia ainda menor naquele colégio enorme.
Acordei repentinamente, vendo que era apenas uma lembrança muito antiga. Eu agora era uma adolescente e a escola não parecia mais divertida.
Bom, cada fase da vida temos objetivos, desejos e gostos. Foi-se o tempo em que ir para escola era minha alegria diária, e que eu chorava nos fins de semana por não poder ir.
Agora, escola era sinônimo de chatice, de compromissos e responsabilidades, tudo que eu odiava porque era necessário.
Eu não conquistava mais amigos com um “Olá”, como antigamente, e sim com uma troca de favores eterno.
Eu não saltitava para entrar no ônibus, eu me arrastava até lá.
Não havia o mesmo prazer e alegria e isso me entristecia.
Quando somos crianças queremos ser adultos, quando somos adultos queremos ser crianças. Nós nunca aceitamos o que somos, queremos sempre estar à frente e isso me entristece.

21 comentários:

  1. Sinto falta da minha infância!
    Amei o texto!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas nós sentimos é verdade!
      Obrigada por ler!
      Ana.

      Excluir
  2. É desse jeito mesmo, acredito que esse negócio de só sentir saudades e não ter vontade de ser criança novamente, não existe. Todo mundo tem esse desejo quando grande. Ótimo texto!

    Lucas / Era uma vez
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Sim, todos nós temos vontades!

      Excluir
  3. Oi! Caramba, gostei muito do conto!
    É exatamente assim. Quando somos pequeninos, desejamos ser grandes e quando alcançamos tal fase, o desejo de retornarmos à infância nos corrói. E sobre o ônibus... é bem assim! Sofro com isso de segunda à sexta.
    Beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Visite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós sofremos!
      Agradeço pela atenção!
      Ana.

      Excluir
  4. Eu nem me reconheço da pessoa que fui quando era mais nova, estou muito diferente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mundo e o tempo faz com que nos tornemos pessoas diferentes!
      Obrigada!
      Ana.

      Excluir
  5. Ai como eu sinto falta da minha infância ;(
    Adorei o conto!

    Beijos! :)
    http://viajantesdaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós... Obrigada pela atenção!
      Beijos, Ana.

      Excluir
  6. Lindo Texto. Me sinto muito diferente. Não tenho a mínima vontade de voltar a ser criança e me alegro por os dias passarem tão rápido me tornando uma pessoa mais velha.
    Sempre quis ser ''gente grande'' e sei que não vou me arrepender quanto chegar nesse tal ponto.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      E acho que você é uma exceção a grande regra!
      Beijos,
      Ana.

      Excluir
  7. Ah, infância! <3
    As coisas realmente eram tão mais fáceis...

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  8. Oie pessoal, tudo bem? Uau, fazia teeeempo que não passava por aqui, o blog está de cara nova, gostei! :)

    Ah, e adorei o texto também!

    Beijokas galera!
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  9. Infância é uma época tão gostosa

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. `+e gozado como são as coisas.Quando somos crianças queremos ser adultos.E quando finalmente somos adultos...sentimos falta de como era bom ser criança!!!!!!!!!!

    Adorei o conto Ana(minha chara!hahahahahaha)!

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, chara!
      Eu sempre achei meio bizarro isso!
      Beijos, Ana.

      Excluir
  11. Oi Ana, primeiramente bem vinda ao VCL! Gostei da sua coluna e vc já estreou em grande estilo neh?
    Seu texto tão nostálgico, bem escrito e pontuado, me trouxe muitos flashes da minha infância e adolescência.
    É bem assim como vc disse, nunca estamos conformados como que somos, seja crianças ou adultos, estamos sempre em busca de algo melhor, maior, mais confortável e que talvez nem exista...rsrsrs
    Adorei de verdade flor. Bjokas

    www.lerepensar.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar e volte sempre !